quinta-feira, 25 de fevereiro de 2016

Complexo de Édipo

Meu segundo trabalho, TCC, sobre psicanálise, também tirei 9 afff... Pode copiar se precisar!

Muito bom este tema, só alterei os espaços para não ficar tão grande:

COMPLEXO DE ÉDIPO

INTRODUÇÃO
O presente trabalho tem por objetivo comunicar algumas considerações sobre o Complexo de Édipo. Sigmund Freud instituiu o Complexo de Édipo como uma fase da infância em que existe uma triangulação na constituição familiar que poderá definir a estrutura psíquica do indivíduo. Este trabalho visa entender este Complexo a partir de sua teoria. O trabalho torna-se essencial para a construção do entendimento em psicanálise, bem como esclarecer ou desmistificar esse processo.
 1.     Freud e a Mitologia
Freud teve como base a mitologia grega do Édipo Rei, nesse cenário, Édipo sem saber que Jocasta era sua mãe se casa com ela e assassina o próprio pai, inconsciente do grau de parentesco familiar. Quando Édipo descobre a verdade, cega a si mesmo e sua mãe se suicida.
De acordo com Freud todo ser humano deve sua origem a um pai e uma mãe, não tendo como escapar desta triangulação que constitui o centro do conflito humano e percorre toda a vida, este acontecimento definirá a estrutura psíquica do individuo. Esse conceito é universal na psicanalise, pois desperta sentimentos de amor e ódio direcionados aos pais.
O complexo de Édipo ocorre quando a criança está atravessando a fase fálica. Freud explica que este complexo geralmente termina quando a criança se identifica com o parente do mesmo sexo e reprimi seus instintos sexuais, se esse relacionamento com os pais fosse amável e não traumático, e se a atitude dos pais não fosse excessivamente proibitiva nem excessivamente estimulante, o período seria ultrapassado harmoniosamente. Caso aconteçam traumas, no entanto, ocorre uma neurose infantil que é um importante precursor de reações similares na vida adulta.
Freud considerou a reação contra o complexo de Édipo a mais importante conquista social da mente humana. Psicanalistas posteriores consideram a descrição de Freud imprecisa, apesar de conter algumas verdades parciais.
Primeiro ocorre à fase oral, quando a criança focaliza seu desejo e prazer no seio materno e na ingestão dos alimentos. Depois ocorre a fase anal, quando o desejo e o prazer são focalizados nas fezes e secreções. Por ultimo, ocorre a fase fálica quando o desejo e o prazer são focalizados nos órgãos genitais.

2.     Fase fálica
O estágio fálico do ser humano está presente quando o pênis passa a ser a representação simbólica de virilidade para os meninos para as meninas, uma vez que estas acreditam que o dito órgão está incrustado nelas, especialmente no clitóris, e que crescerá um dia como o dos meninos.
Nesta fase, entre os 3 e os 6 anos, aparece o complexo de Édipo, onde o menino deseja sua mãe, querendo eliminar seu pai, o rival, ainda que o veja como o pai, uma figura de autoridade, o que faz surgir uma nítida ambiguidade: o desejo de mata-lo e o desejo de ser como ele.
Para a menina, a mãe é a indesejável, visto que ela quer fazer às vezes dela, ser a namorada do pai, e quando percebe que seu pênis não cresce nutre o desejo de dar-lhe um filho substitutivo daquela representação.
É também nesta faixa etária que a criança passa a ser alvo de várias proibições que para ela eram desconhecidas, ela passa a deixar de fazer o que bem entende, a família e a sociedade começam a ensinar regras, limites e padrões.
Nenhuma criança escapa do complexo de Édipo, se isso se resolver com naturalidade, atingirá a fase da genitalização. A resolução deste complexo, sendo positiva ou negativa, é que marcará o individuo vida afora e definirá seu comportamento na vida adulta, principalmente na esfera sexual. Sendo assim, o Complexo de Édipo é um dos conceitos mais famosos na teoria freudiana, ao passo que o fundador da psicanálise passou anos a fio elaborando e repensando até chegar ao conceito final. Inicialmente, o Complexo de Édipo se referia a uma escolha objetal, mas, lentamente, torna-se um processo central para o desenvolvimento do conceito de identificação.

3.     Entendendo o complexo de Édipo
Inicialmente, o termo nem sequer aparecia na primeira elaboração da teoria da sexualidade infantil, embora Freud, em uma carta a Fliess, desde 1897, relate “ter descoberto em si mesmo impulsos carinhosos quanto à mãe e hostis em relação ao pai, estes complicados pelo afeto que lhe dedicava” (MEZAN, 2003, p.189).
O termo Édipo surge desde o inicio de seus estudos mas só ganha uma elaboração definitiva depois do fim da obra. Freud introduziu o conceito no seu livro Interpretação de Sonhos (1899).
No menino o complexo de Édipo se desenvolve através de um investimento objetal para com a mãe, dirigido, primeiramente, para o seio materno, modelo anaclítico de espelho objetal. A sua relação com o pai é de identificação. Esses dois relacionamentos não têm longa duração, pois logo os desejos incestuosos do menino pela mãe se tornam mais intensos, e o pai passa a ser visto como um obstáculo a eles; disso se origina o complexo de Édipo. Logo, a identificação com o pai carrega-se de hostilidade, e o desejo de livrar-se dele predomina, bem como a ideia de ocupar seu lugar junto à mãe. A ambivalência inerente à identificação, desde o início, se manifesta dominando a relação com o pai. Portanto, o complexo de Édipo positivo do menino se caracteriza por uma atitude ambivalente em relação ao pai e por uma relação objetal afetuosa com a mãe (CARVALHO FILHO, 2010).
Segundo Freud (1900, p.261), durante a infância, “apaixonar-se por um dos pais e odiar o outro figuram entre os componentes essenciais do acervo de impulsos psíquicos que se formam nessa época”.....”Se a satisfação do amos no campo do complexo de Édipo deve custar à criança o pênis, esta fadado surgir um conflito entre seu interesse narcísico nesta parte de seu corpo e a catexia libidinal de seus objetos parentais. Nesse conflito, triunfa normalmente a primeira dessas formas: o ego da criança volta as costas ao complexo de Édipo”.
Portanto, o fim do complexo de Édipo é correlativo da instauração da lei. É pelo medo da castração que o menino começa a desistir de sua paixão incestuosa, iniciando o processo pelo qual acabará por identificar-se com a Lei do Pai, assim para Freud a lei repousa na interdição do incesto. “Os investimentos objetais são abandonados e substituídos por uma identificação. A autoridade do pai introjetada no ego forma o núcleo do superego, que assume a severidade do pai e perpetua a proibição deste contra o incesto, defendendo o ego do retorno da libido” (FREUD, 1977, p.221).
Ao mesmo tempo em que estas fantasias claramente incestuosas são superadas e repudiadas, completa-se uma das conquistas mais significativas, mas também mais dolorosas, do período púbere: a emancipação da autoridade dos pais, único processo que permite o surgimento da oposição entre a velha e a nova geração, tão fundamental para o progresso da civilização. (Freud apud Mezan, 2003, p.136) 

4.     Resolução do Complexo de Édipo
Para entendermos o que acontece no Complexo de Édipo é preciso voltarmos um pouco na “historia” do sujeitos, no que poderíamos chamar de “primórdios” da relação com o objeto. O primeiro objeto erótico de uma criança é o seio da mãe que alimenta. A origem do amor está ligada à necessidade satisfeita de nutrição. Este primeiro objeto – o seio – é ampliado à figurada da mãe da criança, que não apenas a alimenta, mas também cuida dela e, assim, desperta-lhe um certo número de outras sensações físicas, agradáveis e desagradáveis. Através dos cuidados com o corpo da criança, a mãe torna-se seu primeiro “sedutor”. “Nessas duas relações reside a raiz da importância única, sem paralelo, de uma mãe, estabelecida inalteravelmente para toda a vida como o primeiro e mais forte objeto amoroso e como protótipo de todas as relações amorosas posteriores – para ambos os sexos” (FREUD, 1940/1996, p.202).
Na fase fálica, que ocorre ao mesmo passo do complexo de Édipo, o órgão genital (o pênis) já assumiu o papel principal. O menino revela seu interesse por seus órgãos genitais com o comportamento de manipulação do mesmo. Logo, descobre que os adultos reprovam tal comportamento à medida que inferem a ele uma punição – a castração. Essa ameaça provém de mulheres, que buscam reforçar sua autoridade por uma resistência ao pai, afirma o seguinte autor (FREUD, 1924/1996).
O fim do complexo de Édipo é ocasionado pela ameaça da castração. Nesse caso, a catexia (processo pelo qual a energia libidinal disponível na psique é vinculada a ou investida na representação mental de uma pessoa, idéia ou coisa) objetal da mãe deve ser abandonadaO seu lugar pode ser preenchido por uma das duas coisas: Uma identificação com a mãe ou uma intensificação de sua identificação com o pai, como resultado mais normal e que consolidaria a masculinidade, no caso do menino. Na menina, ela aceita a castração como um fato consumado, já o menino, teme sua ocorrência.
Acontece na infância e é revivido na adolescência e seus resultados estão presentes na vida de qualquer adulto. De acordo com a lenda do Édipo Rei, para Freud (1917), ouvi-la é um certo horror para todos os sujeitos, uma que vez que esta “evoca” o que estava adormecido – os desejos incestuosos. 

5. Complexo de Édipo - Conceito em Psicanálise
O Complexo de Édipo é fundamental para a Psicanálise, entendido por esta como sendo universal e, portanto, comum a todos os seres humanos.  Caracteriza-se por sentimentos contraditórios de amor e hostilidade, ou seja, amor a mãe e ódio ao pai (não que o pai seja exclusivo, pode ser qualquer outra pessoa que desvie a atenção que a mãe tem com o filho), o mundo infantil resume-se a estas figuras ou aos que a representam.
Como o ser humano não pode ser concebido sem mãe e pai, mesmo que não venha a conhecê-los, a relação nesta tríade é a essência do conflito humano.
A idéia central do conceito de Complexo de Édipo, inicia-se na ilusão de que o bebe tem que ter proteção e amor total, por causa da condição frágil e dependente de um recém-nascido, proteção essa relacionada à figura materna. Em torno dos 3 anos, a criança começa a ter contato com determinadas situações em que vai sofrer interdições, vai ouvir o “não pode”, são as proibições e limites que começam a acontecer nesta idade. A criança, por estar maior, não pode mais fazer determinadas coisas como: brincar pelado em piscina ou praia, não pode dormir na cama dos pais, começa a ser ensinado a sentar de forma correta, começa o processo de retirada da fralda, além de outros ensinos e cobranças, é o exato momento em que ela percebe que não é o centro do mundo.
A criança começa a perceber que os pais pertencem a uma realidade cultural e que não podem se dedicar somente a ela porque possuem outros compromissos. O pai representa a inserção na cultura, é a ordem cultura e que ele pertence a mãe e por isso dirige sentimentos hostis a ele, inclusive, é um sentimento contraditório pois entende que ama o pai. A diferenciação acontece pela identificação da criança com um dos pais.
Na identificação positiva, o menino identifica o pai e a menina a mãe. O menino quer ser forte como o pai mas o hostiliza pelo ciúme que sente da mãe. A menina hostiliza a mãe porque ela possui o pai mas quer se parecer com ela para competir e ao mesmo tempo, tem medo de perder o amor da mãe, que sempre foi tão acolhedora.
Na identificação negativa, o medo de perder aquele a quem hostiliza faz com que a identificação aconteça com a figura do sexo oposto, o que pode gerar comportamento homossexuais, isto é, a filha se identifica com o pai e o menino com a mãe.
Com o aparecimento deste complexo a criança sai do reinado dos impulsos e dos instintos e passa para um plano bem mais racional. A pessoa que não consegue fazer a passagem da ilusão de super proteção para a cultura normal se psicotiza.

CONCLUSÃO
O Complexo de Édipo é fundamental tendo em vista que caracteriza a diferenciação da pessoa em relação aos pais e possibilita a criança perceber que seus pais pertencem a uma dimensão cultural e social onde não podem dedicar-se somente a ela.

Dependendo da passagem deste período de vida e sua dissolução a pessoa manifestará, muitos conflitos durante a fase adulta, ou seja, o Complexo de Édipo influencia diretamente na construção da estrutura psíquica de um individuo, seja ele homem ou mulher.

BIBLIOGRAFIA
FREUD, Sigmund. - Publicações pré-psicanalíticas e esboços inéditos. Rio de Janeiro, Imago, 1977. p.221. Edição Standard da Obras Psicológicas Completas de Sigmund Freud, Rio de Janeiro: Imago, 1996.

FREUD, Sigmund.  O desenvolvimento da libido e as organizações sexuais (1916), v.XVI, p. 325-342.  Edição Standard da Obras Psicológicas Completas de Sigmund Freud, Rio de Janeiro: Imago, 1996.

FREUD, Sigmund. A dissolução do Complexo de Édipo (1924), v. XIX, p. 189-199. Edição Standard da Obras Psicológicas Completas de Sigmund Freud, Rio de Janeiro: Imago, 1996.

Faça você mesmo... #01

Curto muito casa, gosto demais de decoração e de usar "coisas" sem gastar muito dinheiro ou nenhum de preferencia....
Acho que o gastar por gastar saiu de moda, pelo menos, eu agora só compro o necessário e conheço muitos que estão nesta vibe. Com o passar do tempo e as experiências nossas prioridades vão mudando, pois bem....
Adoro trabalhar com o contact, aquele adesivo baratinho que a gente compra em papelaria, tem de todas as estampas possíveis e agora tem até com glitter ou com cara de azulejo quadriculadinho, mas vamos ao que interessa neste post:

Renovar móveis com contact ou com tecido adesivo que também não é caro e a gente consegue fazer sozinha.

1 - Mesinha pintada de preto (pode usar a tinta spray) e com flores em contact com estampa de madeira para harmonizar com o chão.
Gosto de mesas coloridas então encapei um criado mudo pro quarto do meu filho usando amarelo e preto e ficou 10!

2 - Contact ou tecido adesivo como cabeceira de cama box. Tenho rinite e usaria o contact que é fácil de limpar. 
Quais cores usar? 
Ouse!

3 - Amei esse branco pra trazer privacidade para alguma janela e ainda decora.
Caso não queira usar a folha inteira, recorte ou faça listras, bolas, quadrados, enfim...... 


4 - Um armário de MDF com 4 caixas forradas, que ar alegre que deu ao ambiente!


5 - Fazendo graça na escada e evitando as marcas indesejáveis de sapatos e do pano de limpeza!!


6 - A geladeira ficou charmosa, vi uma que fizeram com tiras de contact dourado e amei...vale tentar....enjoou? sujou? troca!

7 - Esse moveis encapados são demais.
Tem um movel com pintura feia e não quer ficar sem ele, transforme-o com contact ou tecido adesivo!

OBS: As Tintas EUCATEX vendem spray de 400ml de esmalte sintético, cores metálicas, tintas multiuso (que dá pra gente usar em um monte de objetos) e com várias cores.
Podemos mudar cores base de móveis, sem sujeira e com secagem rápida.
Você encontra em uma loja de tintas perto de você e é prático demais.

Outra coisa....estarei mostrando como reutilizar garrafas de vidro ou pet, latinhas e potinhos em geral para organização sem gastar muito.
Economia é  tudo!
Reciclar para acabar com o lixo também!

Esse é o 1º post sobre isso.....breve estarei trazendo outros.
Não desfaça de seus moveis para comprar outros...
Transforme-o!
Faça você mesma.

Imagens WEB

Bjkssss

Graça e Paz!!!!

quinta-feira, 18 de fevereiro de 2016

Agenda Fev/Mar 2016

Pr Marlex
Nossos próximos eventos na CECRIN serão:

Dia 19/02 - Sexta - 20h - Itaipava
Pastor Marlex Di Paula

Dia 21/02 - Domingo - 9:30h as12h - Itaipava
Escola de Profetas com Pastor Adilson Luiz 

MARÇO

03 - Quinta - 20h - Boa Vista
Culto de Consagração de Obreiros 

04 - Sexta - 20h - Itaipava
Culto do 8º Aniversário da CECRIN - será na sede em Itaipava e breve divulgaremos o Pastor convidado pra nossa festa.

06 - Domingo - 13h - Itaipava
Curso para Professores de Ministério Infantil 
Aberto a todas as igrejas, independente de bandeira denominacional. 
Investimento de R$ 30,00 com apostila e certificado.
Sempre na preocupação de oferecer o melhor para as crianças que fazem parte do CECRIN Kids e Guardiões, estamos realizando este cursopara capacitação e aperfeiçoamente de nossos professores.

06 - Domingo - 19h - Itaipava
Culto com Ceia e Batismo 

12 - Sabado e 13 Domingo - 8:30h - Boa Vista
2º Encontro Face a Face - Nivel 2
Investimento de R$ 50,00
Apenas para quem já fez o Nivel 1

16 - Quarta - 15h - Praça Paulo Carneiro no Centro de Petrópolis
Concentração para a Marcha Para Jesus
Com participação do Louvor & Adoração Cristo em Nós
Todos no Centro Histórico proclamando Jesus como Senhor de Petrópolis.
Pr Carlos Melo - 18/03 Sexta na CECRIN - Itaipava
Organização: Prefeitura Municipal de Petrópolis e COMEMPE
Breve divulgaremos o nome de mais adoradores que estarão conosco nesta tarde.

18 - Sexta - 20h - Itaipava
Encontrão da Rede Jovem D3 com Pastor Carlos Melo do BOPE


20 - Domingo - 14h - Itaipava
Workshop de Teatro com Cris Pinheiro da Cia Nissi
Inscrições abertas a todos que já fazem ou desejam fazer teatro
Investimento de R$ 



Estamos esperando vocês para estarem conosco em todos estes eventos.

CECRIN - Itaipava - Estrada União e Industria 9.032-9.036 (ao lado do Subway)
CECRIN - Boa Vista - Rua Caminho da Ladeira 68 (no ponto final do onibus Boa Vista)


Bjksss........Graça e Paz!!!!


sábado, 6 de fevereiro de 2016

Síndrome de Lúcifer

Sei que já deve ter ouvido falar nisso, Síndrome de Lúcifer, conhecendo ou não preparei um breve relato a respeito do assunto, vamos nessa?

* Quem foi Lúcifer?

Estiveste no Éden, jardim de Deus; de toda a pedra preciosa era a tua cobertura: sardônia, topázio, diamante, turquesa, ônix, jaspe, safira, carbúnculo, esmeralda e ouro; em ti se faziam os teus tambores e os teus pífaros; no dia em que foste criado foram preparados.

Tu eras o querubim, ungido para cobrir, e te estabeleci; no monte santo de Deus estavas, no meio das pedras afogueadas andavas.

Perfeito eras nos teus caminhos, desde o dia em que foste criado, até que se achou iniquidade em ti.Ezequiel 28:13-15

Foi o ser mais exaltado de toda a criação (belo, poderoso, sábio, um maestro digamos assim...), como nos mostra os versículos acima, seu nome significa "portador de luz", "o que brilha".
Porém foi expulso pois em seu orgulho e inveja, quis ser igual ao seu Criador, veja:

E tu dizias no teu coração: Eu subirei ao céu, acima das estrelas de Deus exaltarei o meu trono, e no monte da congregação me assentarei, aos lados do norte.

Subirei sobre as alturas das nuvens, e serei semelhante ao Altíssimo. - Isaías 14:13,14

São 5 afirmações na 1ª pessoa do singular, nisto está a essência do pecado, que é querer ser mais importante que o Criador.
Seu orgulho, seu ego, fez com que ele caísse numa terrível armadilha, montada por ele mesmo, veja:
Elevou-se o teu coração por causa da tua formosura, corrompeste a tua sabedoria por causa do teu resplendor; por terra te lancei, diante dos reis te pus, para que olhem para ti.Ezequiel 28:17
Não neófito, para que, ensoberbecendo-se, não caia na condenação do diabo. -  Timóteo 3:6
Foi a traição mais terrível, pois ele levou consigo 1/3 dos anjos e sabem de sua condenação e punição eterna:
Então dirá também aos que estiverem à sua esquerda: Apartai-vos de mim, malditos, para o fogo eterno, preparado para o diabo e seus anjos; - Mateus 25:41

* Como Identificar esta Síndrome?
Ficando atento aos sinais e sintomas que veremos a seguir.

A rebeldia é um sentimento de ciúmes, inveja, soberba, inferioridade, contenda criada direta ou indiretamente, por quem parece, até mesmo, ser manso, humilde e obediente. CUIDADO!!!

- Inferioridade - Como inferioridade se Lúcifer era sábio, poderoso, formoso, era sim, porém todas as vezes que olhava pra Deus se sentia inferior, e isso o incomodou tanto a ponto dele se rebelar contra a autoridade de Deus e ser expulso.
Quantos, hoje, dentro da igreja tem este mesmo sentimento?
Ao invés de cuidarem daquilo que Deus os levantou pra fazer e fazer com excelência, ficam olhando para o "cargo" do outro, e com isso, sentem-se inferiores a ministros, diáconos, lideres e pastores e querem derrubar seus lideres, arrastando para o deserto da rebeldia pessoas inseguras e despreparadas em um motim, em uma facção, dividindo a igreja para se sentir líder.
Foi por orgulho e complexo de inferioridade que Lúcifer quis por seu trono acima do de Deus como lemos, em cima, no versículo de Isaías 14:14.

- Soberba - Lúcifer olhava pra Deus e se sentia inferior, porém quando olhava para si, o seu EU se achava grande e isso encheu seu coração de malícia.
Quantos, hoje, começam bem seu ministério e depois tropeçam em suas próprias pernas?
Eram humildes e conduziam o povo com Graça, eram canal de bençãos e o nome de Deus era glorificado através de seus testemunhos de cura, bençãos e maravilhas, mas aí tudo muda, pois olham para si, se colocam num patamar alto e se esquecem que tudo é de Deus e não deles, se acham grandes e poderosos, como se as coisas acontecem "por causa" deles e não "através" deles. Somos canal de bençãos de Deus, somos os condutores e não os "donos" do poder.

- Ganancia - Lúcifer desejou seu trono acima do de Deus, queria aquilo que não lhe competia.
O desejo de enriquecimento tomou conta de algumas pessoas, aí começam a explorar o povo com vendas de artifícios, talismãs de bençãos, vassouras, canetas, sabonetes, rosas, enfim, tanta coisa..... vendendo ideias de que estes objetos farão milagres, ora, bem sabemos que quem opera é o Espirito Santo de Deus e não coisas.
O obreiro é digno de seu salário, sim, mas explorar não faz sentido, É bíblico que Deus se alegrará com nossa prosperidade, nada contra a quem tenha avião, helicóptero, ou seja lá o que for, mas não podemos usar a igreja assim, tudo deve ser feito ou adquirido sem venda de indulgencias ou exploração. Igreja não é para arrancar dinheiro do povo!

- Inveja - Lúcifer quis um céu só pra ele, veja em Isaías 14:14 novamente.
Quantos lideres querem a igreja "só para eles", a igreja é noiva de Cristo e estão querendo toma-la dEle, como se a igreja e as ovelhas fossem de propriedade do Pastor. Querem poder, se acham donos de tudo e ainda reclama com Deus que a igreja ao lado cresce mais que a dele, tem mais membros que a dele e perguntam: 
Onde estou errando?
Respondo - tomando o que não é seu por inveja, ganancia, orgulho e soberba. A Igreja é de Cristo.

- Rebeldia - Facção - Divisão - Corrupção - Discórdia 
Com o coração corrompido pelo orgulho, Lúcifer espalhou, disseminou, difundiu, contaminou a terça parte dos anjos, e estes, caíram junto com ele.
Cuidado com "o que?" você tem ouvido;
cuidado com aquele que fala coisas ruins de alguém pra você, pois com certeza falara de você para ele;
cuidado com aquele que sempre está certo;
cuidado com aquele, que é tão orgulhoso, que não aceita ser corrigido;
cuidado com o insubmisso; 
cuidado com o que semeia discórdia entre irmãos
cuidado com os maus exemplo e com pecados encobertos;
cuidado com lideres que encobrem pecado;
cuidado com o crente politico que concorda e discorda com todos para ficar bem com todos;
cuidado com aquele que só prega o que o povo quer ouvir, púlpito não é palco;
cuidado com quem confunde o serviço na igreja, com status;
cuidado com o hipócrita que diz que serve a Deus mas só faz as coisas quando tem vontade ou quando for ter vantagem.

Que nossos púlpitos tenham menos artistas, famosos ou não, e mais adoradores, que adorem ao Senhor em Espirito e em verdade.
Que nossos púlpitos tenham menos vidas cheias de "si" e mais vidas cheias do Espirito Santo.
Que nossos púlpitos tenham menos pecados encobertos e mais vidas libertas.
Que sejamos referência por dignidade e testemunhos e não por escândalos.
Que sejamos humildes por caráter e não por máscaras.

Que vivamos e preguemos o Evangelho de Cristo!!

Espero que edifique ou desperte você, pois foi benção enquanto eu escrevia!

Bjksss......Graça e Paz!!!!!

Imagem WEB